A redução de 18% no valor da bandeira terá o impacto de 2,2% na conta de luz do pernambucano. ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

domingo, 30 de agosto de 2015

A redução de 18% no valor da bandeira terá o impacto de 2,2% na conta de luz do pernambucano.


 



 

A partir desta terça-feira, o valor da bandeira vermelha será reduzido de R$ 5,50 para R$ 4,50 a cada 100 quilowatts hora (kWh) consumidos. A redução de 18% no valor da bandeira terá o impacto de 2,2% na conta de luz do pernambucano. Exemplificando: o consumidor que tem o consumo mensal de 200 kWh e desembolsa hoje R$ 125 para quitar a fatura de energia elétrica vai pagar R$ 122. A redução da bandeira foi aprovada ontem em reunião extraordinária da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A nova tarifa vai vigorar até dezembro deste ano.

A redução do valor da bandeira vermelha foi possível após a decisão do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), de desligar 21 térmicas a dieesel mais caras, com Custo Variável Unitário (CVU) maior do que R$ 600/MWh. A Aneel fez uma simulação do impacto na arrecadação das bandeiras tarifárias para o segundo semestre de 2015. Após os estudos, a agência reguladora decidiu propor a redução da bandeira vermelha para R$ 45/MWh, o que equivale a R$ 4,50 a cada 100 kWh consumidos.

De acordo com a Aneel, a proposta foi baseada na expectativa de que as térmicas mais caras não voltem a ser despachadas neste ano para complementar a oferta de energia elétrica gerada das usinas hidrelétricas. A proposta ficou em audiência pública no período de 14 a 24 deste mês e recebeu 25 contribuições da sociedade.

O sistema de bandeiras tarifárias foi adotado desde janeiro para avisar ao consumidor quando ele está pagando mais caro pelo custo da geração de energia. As cores das bandeiras (verde, amarela ou vermelha) indicam se a energia vai custar mais ou menos dependendo das condições de geração. Por enquanto, o consumidor só experimentou a bandeira vermelha.

Sistema

Para o presidente-executivo da Associação Brasileira de Grandes Consumidores de Energia (Abrace), Paulo Pedrosa, a atual situação hídrica dos reservatórios ainda não indica que o sistema superou as dificuldades. “É preciso não transmitir ao consumidor o aviso que as coisas estão equilibradas. A situação só não está pior porque houve a retração do Produto Interno Bruto (PIB) para evitar o racionamento de energia.”

Em nota, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) informou que cumpre as determinações da Aneel e, conforme o órgão regulador, a redução da bandeira vermelha entra em vigor a partir desta terça-feira. Segundo a distribuidora, o cliente deve perceber a variação, parcialmente, no próximo ciclo de faturamento.


 

 

Diario de Pernambuco

 

 

 

 

←  Anterior Proxima  → Página inicial