CRISE: Escola de Referência em Macaparana e 2 de Timbaúba estão sem aula à tarde por falta do alimento, totabilizando 16 escolas em Pernambuco ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

CRISE: Escola de Referência em Macaparana e 2 de Timbaúba estão sem aula à tarde por falta do alimento, totabilizando 16 escolas em Pernambuco


 


Pelo menos 16 Escolas de Referência em Ensino Médio de Pernambuco estão sem aula à tarde por falta do alimento




Segundo informações Sintepe, existe problemas também em três escolas na Mata Norte, sendo duas em Timbaúba e uma em Macaparana.


O Sindicato dos Trabalhadores de Educação em Pernambuco (Sintepe) vai ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) denunciar a redução de carga horária em 16 escolas de referência por falta de merenda. O levantamento foi realizado na semana passada. Só na última segunda-feira, o sindicato registrou o mesmo problema em três escolas, sendo duas em Timbaúba e uma em Macaparana, ambas na Mata Norte. Nessa terça-feira (22), não houve aula no período da tarde na Professor Trajano de Mendonça, em Jardim São Paulo.

O presidente do Sintepe, Fernando Melo, afirmou que o sindicato já cumpriu todos os trâmites legais para ir ao MPPE. “Ofícios já foram encaminhados aos conselhos de Educação e de Merenda. 

O próximo passo é denunciar ao ministério”, adiantou o presidente. Ele ainda ressaltou que a redução está ligada aos cortes orçamentários do Governo do Estado. “Já são 16 unidades de ensino. E o número pode subir. Os cortes estão sendo refletidos em salas de aula”, disse Melo, acrescentando que reduzir a carga horária dos estudantes, principalmente de escolas de referência, é crime.

Outra queixa do sindicato é que há relatos de alunos sobre reclamações na proporção servida no almoço. “Segundo eles, houve redução na quantidade. Isso não pode acontecer”, comentou Melo. A SEE confirmou que houve suspensão do fornecimento do almoço em algumas escolas da rede estadual e, por isso, não houve aulas no turno da tarde. A pasta assegurou que o problema é contratual: algumas empresas contratadas estão sendo substituídas e hoje inicia-se o processo de normalização do fornecimento dos almoços.

Para outras, a secretaria continua trabalhando na substituição das empresas. Segundo a secretaria, as aulas estão ocorrendo no período da manhã, de maneira que os estudantes recebam conteúdo pedagógico programado e sem prejuízo ao calendário anual de horas-aulas.
O secretário de Educação, Fred Amâncio, assegurou que os problemas relacionados à merenda estão sendo solucionados desde a semana passada. “Não podemos dizer que hoje há falta de alimentos para os alunos. 

O problema aconteceu na semana passada. Outras empresas já assumiram o fornecimento, como no Ginásio Pernambucano. Fizemos negociações onde houve problemas”, explicou Amâncio. Ainda de acordo com ele, a merenda “é algo intocável”.

Desde o início do ano, enfatizou o secretário, a pasta vem adotando uma série de medidas para reduzir gastos. “Estamos revendo contratações para conseguir preços melhores, por exemplo. Mas volto a dizer que reduzir gastos não significa cortes no setor”, destacou. Amância acrescentou que obteve êxitos de economias em kits escolares. “Conseguimos comprar um kit mais barato do que no ano passado. Também conseguimos reduzir gastos com combustíveis, água, diárias, passagens, energia. Todos gastos operacionais”, disse Amâncio, que não precisou o percentual de economia obtido.


Folha de Pernambuco







←  Anterior Proxima  → Página inicial