Gasolina pode ficar 14% mais cara com aumento da Cide ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

sábado, 12 de setembro de 2015

Gasolina pode ficar 14% mais cara com aumento da Cide


 

Governo pretende aumentar a Cide para ganhar arrecadação de R$ 15 bilhões. Medida terá impacto direto na inflação



Gasolina pode ficar 14% mais cara com aumento da Cide (Rafael Neddermeyer/ FP)

Governo Federal pretende aumentar a Cide para ganhar arrecadação de R$ 15 bilhões. Medida terá impacto direto na inflação


O consumidor deve preparar o bolso: a gasolina pode ficar 14% mais cara. O governo pretende aumentar a Cide (imposto dos combustíveis) em R$ 0,50 por litro. Se prevalecer essa intenção, o preço médio no país passará de R$ 3,55, para R$ 4,05. Atualmente, arrecada-se R$ 12,5 bilhões com a somatória da Cide e Pis-Cofins que juntas custam R$ 0,22. Com essa alta, o Ministério da Fazenda estima arrecadar mais R$ 15 bilhões ao ano. O impacto na inflação será de 0,9%. O diretor do Centro Brasileiro de Infra Estrutura (CBIE), Adriano Pires, constata que, com esse aumento, o brasileiro vai pagar bem mais caro pelo combustível de petróleo que o registrado no mercado internacional. Nos Estados Unidos paga-se hoje US$ 0,77 pelo litro; na China sai a US$ 0,98. Com o dólar cotado a R$ 3,87,  a gasolina custa agora US$ 0,91. Com o aumento, passará para US$ 1,04. E junto com a alta da gasolina, toda o custo da cadeia de produção aumenta automaticamente e tira ainda mais a competitividade do país.


Pires alerta que, se o governo aumentar o preço da gasolina por meio do reajuste da Cide, além de péssima notícia para o consumidor, será uma novidade terrível também para a Petrobras, pois o dinheiro não vai para o caixa da empresa. “Tenho certeza que no dia que for anunciado o aumento da Cide, as ações da Petrobras vão despencar na bolsa. A empresa precisa se capitalizar, mas com a Cide, esse dinheiro não vai para a empresa. Vai direto para os cofres do Tesouro. Isso vai passar para o mercado que o governo tem como único objetivo aumentar a arrecadação, sem se importar com as dificuldades da companhia”, apontou.


Para o gerente comercial Cleyton Sampaio, de 30 anos, um novo aumento no preço da gasolina será um baque no orçamento. “Fica muito complicado, porque moro longe e hoje em dia dependo do carro para tudo”, lamenta. Ele já fez todos os cortes possíveis quando sentiu no bolso o impacto do aumento dos preços no começo do ano. “Mesmo economizando, meus gastos com combustível estão ficando tão altos quanto os com alimentação. Se subir mais, não tenho o que fazer, porque o transporte público não é uma boa opção”, afirma.


DÓLAR E MERCADOS - O apetite por venda de dólares visto no início da semana durou pouco e os investidores voltaram a demandar a moeda americana ontem. De forma geral, analistas ainda veem poucos motivos para operar do lado da venda. Além disso, o dólar registrou alta na sessão da sexta-feira frente a algumas divisas emergentes e correlacionadas aos preços das commodities, em dia de forte baixa do petróleo. Se permanecer em alta, o dólar também tende a pressionar o preço dos combustíveis e a situação da Petrobras.
O dólar à vista, referência no mercado financeiro, fechou o dia com valorização de 1,21% sobre o real, cotado em R$ 3,880 na venda. É o maior valor desde 23 de outubro de 2002, quando valia R$ 3,901 (ou R$ 6,60 hoje, após correção inflacionária). Na semana, houve avanço de 1,15%. Já o dólar comercial, utilizado em transações de comércio exterior, teve alta de 0,72% no dia e de 0,49% na semana, para R$ 3,877 na venda. Também é o maior valor desde 23 de outubro de 2002, quando valia R$ 3,910 (ou R$ 6,62 hoje).


Após perder  o selo de bom pagador conferido pela agência de risco Standard & Poor’s, a Petrobras ontem recuou mais de 3% na bolsa brasileira, ajudando o Ibovespa a fechar no vermelho pelo terceiro dia, embora o bom desempenho das ações de exportadoras tenha limitado a baixa do índice. O Ibovespa teve desvalorização de 0,22%.




Diario de Pernambuco





←  Anterior Proxima  → Página inicial