VÍTIMA DE TRAIÇÃO, MULHER QUEIMA PÊNIS DO NAMORADO COM CHAPINHA DE CABELO ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

sábado, 19 de setembro de 2015

VÍTIMA DE TRAIÇÃO, MULHER QUEIMA PÊNIS DO NAMORADO COM CHAPINHA DE CABELO





HOMEM VAI PRECISAR DE DOIS ANOS PARA SE RECUPERAR TOTALMENTE E TALVEZ O ÓRGÃO NÃO VOLTE A TER TODAS AS FUNÇÕES NORMAIS


Casais fazem pactos e acordos durante os relacionamentos, mas um caso bizarro em Mount Baker, na Austrália, terminou na Justiça. Uma mulher queimou o pênis do namorado com uma chapinha de cabelo depois de descobrir uma traição. Detalhe: ele autorizou a queimadura.Segundo a versão britânica do jornal Metro, Bronwyn Parker, de 22 anos, e o namorado, não identificado, tinham o pacto de que, caso ele a traísse, ela poderia se vingar como bem entendesse. E o maladrinho pulou a cerca com a ex…


Após segundos na chapinha, o luluzinho do homem ficou com queimaduras de terceiro grau. De acordo com médicos, a vítima vai precisar de cerca de dois anos para se recuperar totalmente e talvez seu “amiguinho” não volte a ter todas as funções normais. Além disso, as cicatrizes ficarão no órgão para o resto da vida.


As queimaduras ocorreram depois de Bronwyn descobrir que o jovem havia passado duas noites com a ex-namorada. Antes da agressão, ela disse que apenas ia tocar o bilau do namorado com o aparelho.


“Ao olhar (o pênis), não parecia muito ruim. Parecia que tinha cozinhado um pedaço de carne”, declarou a jovem em depoimento à polícia.


Já o rapaz disse à Justiça que ficou muito envergonhado para buscar ajuda médica imediatamente. O juiz Paul Muscat definiu o crime como “incomum” e afirmou que a jovem abusou física e psicologicamente do rapaz. Ele declarou, ainda, que não viu o lado “engraçado” da coisa, como a acusada quis passar a todos.


Bronwyn admitiu que havia queimado o namorado, mas que pensou que a chapinha fosse apenas produzir “queimaduras de sol”.

Bronwyn foi declarada culpada de imprudência, causando danos graves à vítima. Ela foi condenada a ficar nove meses sob supervisão da Justiça.




Blog do Carlos Araujo





←  Anterior Proxima  → Página inicial