DPVAT para as cinquentinhas terá redução. A partir de 2016 custará R$ 130,00 ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

DPVAT para as cinquentinhas terá redução. A partir de 2016 custará R$ 130,00


 

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Despesa dos proprietários de cinquentinhas terá uma redução de 55%, o que será um estímulo ao emplacamento de outros ciclomotores

Depois de tanto aperto, regras e prazos, boas notícias para os condutores de ciclomotores, as famosas cinquentinhas. É praticamente certo que a partir de 2016 o valor do DPVAT, o seguro obrigatório, caia de R$ 292,05 para R$ 130 ao ano. Uma minuta de resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), que rege as regras de cobrança do seguro, já foi formulada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda, e deverá ser aprovada numa reunião prevista para o dia 9 de dezembro. Assim, a despesa dos proprietários de cinquentinhas terá uma redução de 55%, o que, na expectativa de quem está envolvido no processo, será um estímulo ao emplacamento de outros ciclomotores.

A proposta de redução do valor do DPVAT foi feita, oficialmente, pelo Detran de Pernambuco, juntamente com a Montadora Shineray do Brasil, e subassinado pelos Detrans da Paraíba e de Alagoas. O documento foi encaminhado para a Seguradora Líder, gestora do DPVAT, que o encaminhou à Susep. Na proposta, é solicitado, também, a criação de uma categoria específica para os ciclomotores, até então equiparados às motocicletas e motonetas. “Os ciclomotores não têm a mesma amplitude de circulação, não podem transitar em estradas nem em vias de trânsito rápido, nem são passíveis de uso profissional-empresarial, como moto-táxi e moto-frete, por exemplo.

Além disso, existem em quantidade infinitamente inferior aos outros veículos que compõem a categoria “9”, que inclui as motos e motonetas. Representam menos de 0,5% da frota nacional, enquanto que as motocicletas representam 22% com cerca de 20 milhões em circulação no País. Por isso, não é justo que paguem o mesmo valor”, explica o advogado Luiz Felipe Figueirêdo, do Amaral & Paes de Andrade Advogados, que representa o grupo Shineray do Brasil.


Timbauba Noticias










←  Anterior Proxima  → Página inicial