Armando avisa a oposição: “o Brasil não é um país qualquer” ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Armando avisa a oposição: “o Brasil não é um país qualquer”




O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto (PTB-PE), disse estar confiante na possibilidade do Congresso Nacional encerrar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff o quanto antes, até porque a “disputa política chegou ao paroxismo, ao limite”, disparou. Ele também observou que é “preciso defender a a institucionalidade”, mas que “o Brasil não é um país qualquer em que você depõe presidente por vontade de setores da oposição. O governo tem muitos argumentos para mostrar que não há crime de responsabilidade”, disse.


Segundo ele, a carta entregue à presidente Dilma pelo vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP), onde ele relata a sua insatisfação com o tratamento dispensado a ele e ao partido – revela apenas a cizânia existente dentro do PMDB. “O PMDB é um partido que sempre teve essa marca de ser dividido. Independentemente da carta do vice-presidente, por quem tenho respeito, já se percebe a divisão na bancada da Câmara. Há setores expressivos do PMDB que querem ficar na base”, disse o ministro em entrevista à rede RBS.


O ministro também afirmou estar seguro que os três membros da legenda que foram indicados para a comissão especial que irá analisar a pertinência do pedido de impeachment deverão votar de forma favorável ao governo, a despeito da presidente do partido, Cristiane Brasil (RJ), já ter se posicionado a favor do afastamento. “Seria difícil para o líder (Jovair Arantes-GO) bloquear a pretensão da presidente do partido. São três representantes do partido na comissão, confio que a maioria vai votar com o governo”, afirmou.
Armando também disse esperar que o Congresso resolva a questão do impeachment o mais rapidamente possível. “A sociedade deseja isso, para que se possa discutir uma agenda de país. A disputa política chegou ao paroxismo, ao limite”, disparou.



LusimarLima





←  Anterior Proxima  → Página inicial