Conversa com amiga em app revela que jovem previu morte horas antes ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Conversa com amiga em app revela que jovem previu morte horas antes


 

Adolescente de 14 anos foi encontrada morta pelo pai em Nova Fátima, BA.
Amiga conta que não levou a sério quando vítima falou sobre morte.

Adolescente revela que estava sentido que iria morrer (Foto: Reprodução / WhatsApp)

Horas antes de ser encontrada morta pelo pai, em Nova Fátima, região norte da Bahia, uma adolescente contou para a amiga no WhatsApp que achava que iria morrer.
"Ela [Regina Neta] disse que estava tendo um dia ruim. Ela já havia sofrido alguns pequenos acidentes", revelou a amiga da jovem morta. Na conversa, a vítima afirmou que estava sentindo que iria morrer.


Caso


A adolescente de 14 anos foi encontrada morta dentro da casa onde morava, no município de Nova Fátima, região norte da Bahia, na quarta-feira (20).

De acordo com informações da polícia, o pai teria saído de casa para resolver um problema na motocicleta e, quando retornou, encontrou a filha caída no chão.
A garota chegou a ser levada até um hospital, mas já chegou sem vida.

O corpo foi encaminhado até o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana, cidade a cerca de 100 quilômetros de Salvador, onde passará por necropsia para que a causa da morte seja determinada.

A adolescente de 14 anos foi encontrada pelo pai perto de um varal, dentro de casa, e a polícia acredita que a jovem possa ter recebido uma descarga elétrica e batido a cabeça no chão. O caso é investigado pela 15ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin).

Última visualização da vítima foi às 11h10 (Foto: Reprodução / WhatsApp)

Regina revelou para a amiga que teria sofrido um choque, batido o braço na pia e que uma panela quase teria explodido. "Achei que era brincadeira dela. Acreditei que aquelas coisas realmente tinham acontecido, mas pensei que ela estava brincando quando falou que estava sentindo que iria morrer", disse a amiga da vítima.

As adolescentes estudavam na mesma escola. A amiga de Regina contou que continuou conversando normalmente com ela sobre outros assuntos, até que Regina parou de responder. "Ela parecia estar normal, conversamos sobre outras coisas. Aí ela falou uma coisa que eu não entendi, eu perguntei o que era e ela não respondeu mais", explicou.


G1



←  Anterior Proxima  → Página inicial