Paciente com caso confirmado de H1N1 morre em Campina Grande ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

terça-feira, 5 de abril de 2016

Paciente com caso confirmado de H1N1 morre em Campina Grande


 

A vítima, uma mulher de 25 anos, estava internada desde 7 de março. 

Saúde diz que esse é primeiro caso confirmado de morte com H1N1 na região.


Uma mulher de 25 anos morreu na tarde desta terça-feira (5), com o primeiro caso de H1N1 confirmado em Campina Grande, no Agreste paraibano. A Secretaria de Saúde do Município confirmou que esta é a primeira morte provocada pela gripe na 3ª região de saúde.

A vítima estava internada no Hospital Antônio Targino, em Campina Grande, desde o dia 7 deste mês e, apesar do tratamento, não resistiu.

A mulher morava em Campina Grande e era estudante do curso de letras da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Ainda segundo a 3ª região de saúde, dos 12 casos notificados na região de Campina Grande, dois foram confirmados - entre eles o da paciente que morreu nesta terça-feira - e outros 10 aguardam o resultado de exames. O G1entrou em contato com a família da vítima, mas ninguém quis comentar sobre o assunto.

Conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES), até a manhã desta terça-feira, haviam sido notificados oito óbitos com suspeita de H1N1 na Paraíba. Um deles já foi descartado (João Pessoa) e os demais seguiam em investigação (um em Puxinanã, outro em Campina Grande, um em Camalaú e quatro em João Pessoa) com amostras no Instituto Evandro Chagas.

Até o último dia 29, a Paraíba havia contabilizado sete casos confirmados da gripe H1N1. De acordo com a SES, a campanha de vacinação deste ano só deve começar no dia 30 deste mês.

Morte com Chikungunya

Uma idosa morreu com suspeita de chikungunya em Campina Grande, na última segunda-feira (4). Ela estava internada no Hospital Municipal Dr. Edgley com um quatro de virose que se assemelha aos sintomas dessa doença, contudo a confirmação do diagnóstico só poderá ser dada após a análise do sangue da paciente. As informações foram repassadas pela direção da unidade hospitalar e os resultados dos exames devem ficar prontos em no máximo 15 dias.

Conforme a diretora do hospital, Ilka Nunes, a idosa que faleceu com suspeita de chikungunya se chamava Luzia Leite da Silva e tinha 75 anos. Ela morava no bairro do Santo Antônio e estava internada na unidade desde o dia 28 do mês passado. O óbito foi registrado durante a madrugada da última segunda.




G1




←  Anterior Proxima  → Página inicial