Policiais militares e bombeiros aceitam nova proposta do governo e descartam greve ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Policiais militares e bombeiros aceitam nova proposta do governo e descartam greve





Categoria aceitou os benefícios oferecidos pela gestão após duas reuniões e um ato público que durou quase dez horas
Após duas reuniões e um ato público que durou quase dez horas, policiais militares e bombeiros decidiram aceitar a proposta do Governo de Pernambuco e descartaram a possibilidade de greve. A negociação aconteceu a portas fechadas entre cinco representantes da Associação de Cabos e Soldados, Associação de Praças dos Policiais e Bombeiros Militares e Associação dos Bombeiros Militares de Pernambuco e o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, o secretário de Administração, Milton Coelho, e o comandante da Polícia Militar de Pernambuco, coronel Carlos D'Albuquerque, ao longo desta quarta-feira.


"Não vai ter greve e não faremos paralisação. Fechamos com o governo e a tropa sai confiante de que uma nova história da polícia e dos bombeiros começa a ser escrita. A sociedade pode ficar tranquila", declarou o presidente da Associação de Cabos e Soldados, Alberisson Carlos.
No final da tarde desta quarta-feira, após quase duas horas da primeira reunião, a gestão estadual apresentou uma proposta com promessas de concurso, pagamento de auxílios de transporte e de benefício anual para aquisição de fardamentos. 

No entanto, em assembleia posterior ao encontro, a categoria rejeitou todas as cláusulas discutidas. Policiais militares e bombeiros voltaram a pedir reajuste direto no salário. Depois da votação, a comissão de representantes da categoria voltou à sede da Secretaria de Administração para levar uma contraproposta à gestão.


Na proposta inicial do governo, estava previsto o pagamento de um auxílio para aquisição de uniforme no valor de R$ 750 anual para os militares praças, oficiais ativos e da guarda patrimonial todo mês de junho; pagamento de ajuda de custo de transporte no valor de R$ 350 mensais para todos os praças e R$ 600 para todos os oficiais já em julho; investimento e regularização de débitos no Sistema de Saúde dos Militares do Estado de Pernambuco; abertura de concurso público para oficiais com 60 vagas para PMs e 20 para bombeiros para o ano de 2017 e o mesmo quantitativo para 2018; abertura de seleção interna para o curso de formação de oficiais da administração no exercício de 2016; abertura de concurso público para soldados da CBM para 300 soldados; a revisão no Código Disciplinar em 2016; compromisso da não majoração da alíquetoa de Funafin; e abertura de curso de habilitação de cabos e curso de formação de sargentos neste ano.

 
Na segunda reunião de negociação, os servidores endossaram o anseio da categoria por reajuste direto no salário, mas o Governo de Pernambuco modificou duas cláusulas: aumentou o benefício de transporte dos praças para R$ 400 e prometeu que os pagamentos começariam já em junho. Somados os benefícios, as vantagens para categoria foram maiores do que o reajuste de 6,5% e 18,5% de reposição salarial desejado.


Protesto


A rodada de negociação entre o Governo de Pernambuco e a categoria estava marcada para as 15h, no entanto, só começou às 17h30 porque os servidores fizeram ato público pelas principais ruas da região central da cidade. Desde as 14h, os servidores ficaram concentrados em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco. Os manifestantes saíram em passeata pela Rua 13 de Maio e também pela Avenida Conde da Boa Vista e se concentrou em frente ao Palácio Campos das Princesas para aguardar a negociação.



Diario de Pernambuco




←  Anterior Proxima  → Página inicial