Ônibus vai deixar de aceitar dinheiro para tentar inibir assaltantes em Recife ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Ônibus vai deixar de aceitar dinheiro para tentar inibir assaltantes em Recife



O Grande Recife Consórcio e o sindicato das empresas de ônibus (Urbana–PE) lançam na segunda-feira (11) um projeto experimental para tentar reduzir o alto índice de assaltos aos coletivos. Pela primeira vez na Região Metropolitana, veículos de uma linha vão aceitar apenas passageiros que usam vale transporte. Também não haverá cobrador. A ideia é evitar o acúmulo de dinheiro e inibir a ação dos bandidos.


De acordo com levantamento feito pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS), de janeiro a  maio deste ano, foram contabilizados 451assaltos a ônibus no Grande Recife. Isso representa um aumento de 42% em relação ao mesmo período do ano passado. O Recife é o líder no ranking de ações criminosas registradas, com 51% do total de notificações oficiais. Foram, ao todo, 213 ocorrências. Uma média de 43 casos por mês.


O projeto experimental do Grande Recife Consórcio vai começar na Linha que leva passageiros do Terminal Integrado Abreu e Lima, no Grande Recife, para o TI Macaxeira. São oito veículos.


O Consórcio alerta que serão aceitos os cartões VEM Trabalhador, VEM Estudante, Livre Acesso e Comum. Para  quem costuma fazer o  pagamento em dinheiro, o Grande Recife solicita que a compra do VEM Comum, nos coletivos.

O Consórcio destaca, ainda, que foi mantido um entendimento com a empresa operadora e firmado um compromisso para que cem por cento desses profissionais sejam remanejados e capacitados para outras funções, como motorista ou despachante.



Coisas de Timbauba e Regiões




←  Anterior Proxima  → Página inicial

1 comentários:

  1. Para quem costuma fazer o pagamento em dinheiro, o Grande Recife solicita que a compra do VEM Comum, nos COLETIVOS. Não entendi! Vai continuar usando dinheiro. Será que não é mais uma forma de os empresários extorquirem mais ainda os trabalhadores, forçando a compra do Cartão?

    ResponderExcluir