PF em Pernambuco deflagra operação contra grupo que fraudava aposentadorias rurais ~ Macaparana Hoje - Informação com agilidade!

AGORA NO BLOG...

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

PF em Pernambuco deflagra operação contra grupo que fraudava aposentadorias rurais




Resultado de imagem para aposentadoria


O prejuízo total da fraude é estimado em R$ 11 milhões
A Polícia Federal em Pernambuco deflagrou na manhã de hoje a “Operação Manager” com objetivo de desmantelar uma organização criminosa especializada em concessão fraudulenta de aposentadorias rurais. A prática utilizava pessoas residentes na cidade do Cabo de Santo Agostinho e arredores, com auxílio de membros do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Cabo. Os integrantes do esquema conseguiam obter suas aposentadorias na agência do INSS de São Lourenço da Mata com o apoio do gerente da unidade.


Desde a manhã de hoje cerca de 60 policiais federais e três técnicos do INSS estão cumprindo dois mandados de prisão preventiva, um no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, e outro em Jaboatão dos Guararapes. Também foram expedidos seis mandados de busca e apreensão, três no Cabo de Santo Agostinho, um em Boa Viagem, um Jaboatão dos Guararapes e um em São Lourenço da Mata, bem como quatro mandados de condução coercitiva, três no Cabo de Santo Agostinho e um em Jaboatão dos Guararapes. 


As investigações tiveram início em 2015, quando descobriu-se um grande esquema de concessão irregular de benefícios previdenciários a pessoas residentes no Cabo de Santo Agostinho e arredores os quais era composta pelo do Gerente da Agência da Previdência Social do INSS de São Lourenço da Mata/PE, com a intermediação de funcionários e do Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Cabo de Santo Agostinho/PE, os quais providenciavam a documentação falsa.


Uma vez concedidos os benefícios, os contemplados eram "convidados" a obter empréstimos consignados onde a maior parte do valor das transações era repassada para os membros do grupo criminoso. O esquema também contava com a participação de um correspondente bancário. O prejuízo causado pela fraude é estimado em R$ 632 mil mensais na manutenção desses benefícios irregulares. O prejuízo total chega aos R$ 11 milhões.



Fonte Diairo de Pernambuco

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário