"O que tem acontecido é um plano de desmonte próprio da empresa, atacando a própria qualidade e universalização do serviço. Faz parte de um projeto privado com interesse de entrar no mercado", de acordo com Suzy Cristiny, secretária de imprensa da Fentect. "Mais de 200 agências estão sendo fechadas por todo o Brasil. Com isso, muitos moradores do interior e das periferias vão ficar sem o atendimento bancário e postal dos Correios do Brasil".
A paralisação dos Correios atinge diversos setores do mercado, entre eles, o ecommerce e as importações e exportações.