AGORA NO BLOG...

sábado, 27 de maio de 2017

Chuvas dos últimos dias elevam nível de barragens em PE, diz Compesa


Reservatórios de cidades no Agreste foram os mais beneficiados. No Grande Recife, aumentou o volume de água na barragem do Pirapama. 




Barragem do Prata, no município de Bonito

As chuvas dos últimos dias elevaram o nível de algumas barragens em Pernambuco. Reservatórios de cidades no Agreste foram os mais beneficiados. No Grande Recife, o maior aumento de volume aconteceu na Barragem de Pirapama, no Cabo de Santo Agostinho, que subiu 46,06% para 54,12% entre quinta (25) e sexta-feira (26).

As outras quatro principais barragens da Região Metropolitana não sofreram alterações significativas dos níveis: a Barragem de Várzea do Una está 35,84% da sua capacidade total; Tapacurá com 32,07%; Duas Unas apresenta 27,82% do seu volume de reservação; e Botafogo registra 13,47%.

Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC) emitiu alerta de continuidade das chuvas moderadas a fortes no Grande Recife, no Agreste e na Zona da Mata Sul. A previsão também é de céu nublado no Sertão do Estado. Podem ocorrer pancadas fracas de chuva de forma isolada no período da noite.

Agreste
Um dos mananciais que está em pré-colapso no estado, a Barragem do Prata, no município de Bonito, no Agreste, subiu de 9,83% para 11,72%, entre quarta (24) e sexta-feira (26). Com o pequeno aumento, o Prata registra agora 4.939.384 metros cúbicos de água acumulados, o que já garante prorrogar o uso da água da barragem até o mês de agosto deste ano. A Barragem do Prata é responsável pelo abastecimento de água de Caruaru, Agrestina, Santa Cruz do Capibaribe, Ibirajuba, Altinho e Cachoeirinha.

Em março deste ano, a Compesa precisou adotar a medida de redução da exploração do Prata para 200 litros de água por segundo. Desde então, o abastecimento dessas seis cidades está recebendo o complemento pelo Sistema Adutor do Pirangi, que incrementa o Sistema Prata com mais 500 litros de água por segundo.

Em Garanhuns, as três barragens que fornecem água para a cidade elevaram o volume de reservação com as chuvas dos últimos dez dias. A Barragem do Cajueiro aumentou o nível de acumulação de 43% para 48% (6,9 milhões de m³ de água), Mundaú subiu de 23% para 35% (696 mil m³), enquanto Inhumas, que estava em colapso, com 5% da sua capacidade total, agora subiu para 27% (1,8 milhão m³). 

Segundo a Compesa, com essa melhora dos níveis das barragens, será possível garantir a continuidade do fornecimento de água para a cidade até fevereiro de 2018. Se as chuvas continuarem regulares e com esse volume até o final do mês de junho, Garanhuns poderá até sair do rodízio ainda em julho deste ano, informou a companhia.

Ainda no Agreste, a Barragem do Rio Correntes, que fornece água para a cidade de Correntes, está transbordando. A Compesa disse que limpou a barragem neste mês, o que contribuiu para melhorar a acumulação de água no manancial e retirar a cidade do rodízio.

Lagoa do Ouro também teve o calendário reduzido pelas chuvas, passou para um dia com água e um dia sem, depois que regularizou a vazão do Riacho da Palha. A população de Bom Conselho também terá melhorias no abastecimento, após as barragens de Bulandim, Mata Verde e Caboge voltarem a acumular água. A companhia retornou com a captação nos mananciais e estabeleceu um novo calendário de três dias com água e seis dias sem para a cidade - antes era de cinco dias com e dez dias sem.

Zona da MataNa Mata Norte, as cidades de Ferreiros e Camutanga são atendidas pelo mesmo sistema de abastecimento, cujas fontes de água, duas barragens de nível, tiveram a vazão regularizada com as chuvas. A Compesa informou que passou a fazer a captação 24 horas por dia na Barragem de Mucambo e voltou a retirar água da Barragem Vundinha. A população de Ferreiros e Camutanga, que juntas somam 16,5 mil pessoas, antes eram abastecidas com o rodízio de dois dias com água e 20 dias sem, agora são atendidas com um calendário de dois dias com água e oito dias sem.

Com as últimas chuvas que caíram em Chã Grande, na Mata Sul, a Compesa voltou a captar água na Barragem dos Macacos, que está transbordando. Com a retirada de 15 litros de água por segundo deste manancial, somados a mais 15 litros por segundo que são captados na Barragem de Siriquita, a Compesa deve divulgar e breve um novo calendário de abastecimento para cidade, que hoje é de dois dias com água para 12 dias sem.

A Barragem de Banho da Negra que abastece Pombos, também está transbordando, o que possibilitou reduzir o rodízio da cidade de dois dias com água e 28 dias sem, para dois dias com água e cinco dias sem.

As barragens de Água Fria de Cima e Água Fria de Baixo, que atendem Sirinhaém, também atingiram a capacidade máxima de reservação e estão vertendo. Na cidade é realizado o rodízio de 24 horas com água e 48 horas sem. Em Escada, as chuvas regularizaram o nível do Rio Sapocagy, principal manancial que atende a cidade e que estava em pré-colapso. A Compesa voltou a captar água no manancial 24 horas por dia, o que permitiu adotar o novo calendário de abastecimento em Escada, que é de um dia com água e um dia sem. 




Fonte Folha PE

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário