AGORA NO BLOG...

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Custo da cesta básica no Recife está entre os menores do Brasil, diz Dieese




De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, em outubro, foi necessário desembolsar R$ 325,96 para comprar os itens básicos. Em setembro, esse valor chegou a R$ 328,63


Preço da cesta básica de setembro teve recuo de 6% em Campos, no RJ (Foto: Divulgação/Prefeitura de Campos)


custo médio da cesta básica no Recife está entre os três menores nas 21 cidades pesquisadas em outubro deste ano pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). De acordo com os dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, para comprar os itens foi necessário desembolsar R$ 325,96. Em setembro, os mesmos produtos foram adquiridos, em média, por R$ 328,63.

Os menores valores médios também foram observados em Salvador (R$ 318,31) e em Natal (R$ 325,09). Em outubro, o custo do conjunto de alimentos essenciais apresentou queda em 11 das 21 cidades. Em 12 meses, o valor da cesta teve redução em todos os municípios.

A pesquisa leva em conta o montante necessário para comprar produtos para uma família de quatro pessoas. No Recife, o gasto com a cesta básica consumiu 37,8% do salário mínimo.
Em maio, a capital pernambucana foi apontada como a cidade com o maior aumento no preço da cesta básica, pelo Dieese. Em relação ao apanhado dos primeiros cinco meses do ano, ela se mantinha no topo dos municípios com alta, acumulando 9,03% de acréscimo no valor.

Segundo o Diesse, o salário mínimo necessário para manter o trabalhador e a família deveria equivaler a R$ 3.754,16. Isso significa 4,01 vezes o mínimo de R$ 937.

Em setembro, de 2017, o piso mínimo necessário correspondeu a R$ 3.668,55, ou 3,92 vezes o mínimo vigente. Em outubro de 2016, o salário mínimo necessário foi de R$ 4.016, 27 ou 4,56 vezes o piso em vigor, que equivalia a R$ 880.

Pelo país

As reduções mais expressivas da cesta básica foram registradas em Goiânia (-2,79%), Maceió (-2,52%) e Manaus (-1,77%). Em outras 10 cidades, a cesta apresentou alta. As maiores variações foram observadas em Campo Grande (2,67%), Curitiba (3,08%) e Cuiabá (3,49%). Porto Alegre foi a cidade com a cesta mais cara (R$ 446,87), seguida por São Paulo (R$ 428,13) e Rio de Janeiro (R$ 421,05).



Fonte G1Pernambuco


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário