AGORA NO BLOG...

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Exército destrói 1.141 armas de fogo usadas como provas em processos judiciais em PE





De acordo com o Comando Militar do Nordeste, o armamento foi considerado desnecessário para a continuidade da instrução processual. Material estava armazenado em fóruns do estado.


Armas foram entortadas e derretidas no forno pelo Comando da 7ª Região Militar, no Recife (Foto: Danilo César/TV Globo)

Armas foram entortadas e derretidas no forno pelo Comando da 7ª Região Militar, no Recife (Foto: Danilo César/TV Globo)


omando da 7ª Região Militar destruiu, nesta terça-feira (19), 1.141 armas de fogo que foram usadas como provas em processos judiciais. O armamento estava guardado em fóruns de Pernambuco. O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) entregou as pistolas e revólveres por considerar que não era mais necessário manter esse material armazenado para os casos de instrução processual.


A destruição das armas aconteceu no 4º Batalhão de Polícia do Exército, localizado na BR-232, no Recife. Elas foram entortadas e derretidas no forno. Este ano, ao todo, foram 13.223 armas destruídas pelo Exército.


De acordo com o Comando Militar do Nordeste, a destruição atende um acordo de cooperação técnica entre o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Força Terrestre. O contrato tem por objetivo intensificar o recebimento de armas de fogo dos Tribunais de Justiça do país. As ações são realizadas pelas 12 Regiões Militares, em todo o Brasil.


Ainda segundo o Comando Militar do Nordeste, as técnicas e os procedimentos realizados serão alinhados com a capacitação de integrantes do Sistema Fiscalização de Produtos Controlados (SisFPC), do Exército e dos órgãos envolvidos nas destruições e nas doações das armas.


A operação é a primeira ação realizada pelo Exército após o acordo. O comando acredita que as medidas vão acelerar os processos de doação e destruição de armas de fogo e munição no Brasil.



Fonte G1 Pernambuco


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário