AGORA NO BLOG...

sábado, 2 de junho de 2018

Consumidores fazem fila em revendedoras do Recife para tentar comprar de gás de cozinha


Clientes começaram este sábado (2) em busca de botijões em estabelecimentos na Zona Norte.




Consumidores chegaram cedo, neste sábado (2), para tentar comprar gás de cozinha no Recife (Foto: Reprodução/Robson Batista/ TV Globo)


Consumidores do Recife começaram este sábado (2) em busca de botijões de gás em revendedoras da Zona Norte. Clientes chegaram aos locais ainda de madrugada, mas não conseguiram levar o produto para casa. Em cada um dos estabelecimentos visitados pela reportagem, cerca de 50 pessoas enfrentaram filas e disseram que só voltariam para casa após efetuar a compra.


Uma equipe da TV Globo esteve em revendedoras de gás de cozinha na Estrada de Beberibe, em Água Fria, e em Campo Grande. Nas duas revendedoras, que estão entre as maiores da região, foi repassada a informação de que o combustível estava em falta.


Por volta das 5h30 deste sábado (2), o desempregado Edson Silva chegou a uma revendedora de gás para ocupar o lugar na fila. Ele mora com a mãe e disse que o combustível estava no fim. “Só tem uns pingos”, declarou.No estabelecimento, o botijão de 13 quilos estava sendo vendido por R$ 65, preço considerado ideal pelo Procon de Pernambuco. “Só vou sair daqui com o bujão”, comentou Edson.


O funcionário terceirizado da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) Marcelo Rodrigues também chegou cedo a uma revendora. Ele afirmou que vai mudar os hábitos a partir de agora. “Vou ter sempre três botijões em casa. Tenho medo de que isso ocorra outra vez”, acrescentou.


De acordo com o Procon de Pernambuco, ações foram realizadas na sexta-feira (1°) no Grande Recife para impedir a venda de gás por preços abusivos. Os fiscais visitaram pontos de comercialização no Recife e Olinda. Na capital pernambucana, foram visitados estabelecimentos nas localidades do Vasco da Gama e Córregos da Areia e do Euclides. Em Olinda, os fiscais visitaram estabelecimentos em Casa Caiada.


Nesses locais, os preços foram reduzidos de R$ 70 para R$ 65, após a inspeção. “Fizemos um trabalho mais educativo. Não tivemos que lavrar autos de infração, mas estamos atentos a esse problema da cobrança abusiva”, afirmou o diretor de fiscalização do Procon de Pernambuco, Roberto Campos.


As filas e a busca pelo botijão de gás estão sendo registradas no Grande Recife mesmo depois do encerramento da paralisação dos caminhoneiros e da retomada do processo de abastecimento. Na sexta-feira (1º), a TV Globo visitou postos de revenda e mostrou que os clientes não conseguiram levar o produto para casa.


Na quinta-feira (31), mais de 1.600 caminhões saíram do Porto de Suape, em Ipojuca, no Grande Recife. Desses, 266 estavam carregados com botijões de gás liquefeito de petróleo (GLP, o gás de cozinha) de 13 quilos e outros 64 com gás de cozinha a granel, para abastecer prédios e outros estabelecimentos.




Fonte G1 Pernambuco


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário