AGORA NO BLOG...

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Bolsonaro fica irritado após Mourão criticar pagamento de 13º


Em palestra a lojistas no Rio Grande do Sul, Hamilton Mourão chamou de "jabuticabas" para empresários pagamento de direitos trabalhistas

Mourão afirmou hoje que 13º salário é "jabuticaba"
O candidato do PSL ao Planalto, Jair Bolsonaro, se irritou com as declarações do vice na sua chapa, general aposentado Hamilton Mourão, que criticou o pagamento do 13º salário e de adicional de férias, durante evento realizado nesta quinta-feira (27).
Logo que foi informado da fala de Mourão, Bolsonaro usou o Twitter para se posicionar contra o general e orientar aliados a defender as garantias trabalhistas. Na mensagem, Bolsonaro sugeriu que Mourão não conhece as regras constitucionais.
"O 13º salário do trabalhador está previsto no art. 7º da Constituição em capítulo das cláusulas pétreas (Não passível de ser suprimido sequer por Proposta de Emenda à Constituição)", escreveu. "Criticá-lo, além de ser ofensa a quem trabalha, confessa desconhecer a Constituição", acrescentou.
Em palestra realizada hoje na CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, Mourão afirmou que o 13º salário e o pagamento de adicional de férias são "jabuticabas", ou seja, só ocorrem no Brasil.
"Temos umas jabuticabas que a gente sabe que são uma mochila nas costas de todo empresário", disse. "Jabuticabas brasileiras: 13º salário. Como a gente arrecada 12 (meses) e pagamos 13? O Brasil é o único lugar onde a pessoa entra em férias e ganha mais", completou. "São coisas nossas, a legislação que está aí. A visão dita social com o chapéu dos outros e não do governo", reforçou o vice de Bolsonaro.
As declarações foram rapidamente criticadas pelo ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à Presidência.
"Não é possível achar que os trabalhadores que suam a camisa, que muitas vezes são até explorados, não tenham direito nem ao 13º salário. Não vou mudar nenhuma estratégia, vou alertar aos brasileiros e brasileiras que o caminho não é a volta do PT... e nem o outro extremismo, da intolerância", disse Alckmin.


Nas primeiras conversas com pessoas próximas sobre o episódio, Bolsonaro voltou a defender que Mourão evite participações em eventos públicos. Na semana passada, o candidato a vice já tinha sido orientado a suspender sua agenda após dar outras declarações polêmicas.
Boletim médico
O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, "continua em boa evolução clínica", de acordo com boletim médico divulgado pelo hospital Albert Einstein nesta quinta-feira (27).
De acordo com os médicos do candidato, ele "o paciente não apresenta dor ou febre. Não há disfunções orgânicas e os exames laboratoriais estão estáveis".

Bolsonaro foi transferido da unidade de terapia semi-intensiva para o quarto no sábado (22). Ele segue realizando exercícios respiratórios e de fortalecimento muscular, alternados a períodos de caminhada.

Fonte R7


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário