AGORA NO BLOG...

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

PF desarticula esquema milionário de fraude previdenciária em PE


Investigações descobriram um desvio de mais de R$ 90 milhões do fundo de previdência de município pernambucano ordenado pelo prefeito da cidade



Resultado de imagem para policia federal

A Polícia Federal (PF) em Pernambuco desencadeou, nesta sexta-feira (19), uma operação com o objetivo de desarticular um esquema de fraudes em um instituto de previdência de servidores de uma cidade da Região Metropolitana do Recife (RMR) com ramificações em seis outros estado do Brasil. De acordo com as investigações, iniciadas em março, os desvios, da ordem de R$ 90 milhões, ocorreram a mando de um prefeito de uma cidade pernambucana. O município não foi especificado pela PF porque a apuração do caso segue em segredo de justiça. O esquema também teve a participação empresários, lobistas, advogados, políticos e religiosos.
As equipes envolvidas na ação estão cumprindo 42 mandados de busca e apreensão, 10 mandados de prisão preventiva e 12 (doze) mandados de prisão temporária no Cabo de Santo Agostinho, Vitória e Salgueiro, respectivamente na RMR, Zona da Mata e Sertão pernambucanos, e em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba, Goiás, Santa Catarina e no Distrito Federal. Só para Pernambuco, onde está concentrada a fraude, foram emitidos quatro mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 18 de busca e apreensão.
De acordo com as investigações, o esquema envolveu a transferência de R$ 90 milhões de reais do instituto municipal de previdência — antes investidos em instituições financeiras consideradas confiáveis — para fundos com ativos sem o devido lastro e com grande probabilidade de grandes perdas financeiras futuras, o que compromete de maneira determinante os recursos para o pagamento de aposentadoria dos servidores da cidade em questão. Para a PF, há indícios claros de que a mudança feita na carteira de investimento dos recursos pertencentes ao instituto foi ordenada pelo prefeito do município mediante o recebimento de vantagem indevida.
A operação envolve a participação de 220 policiais federais em todo o Brasil. Os suspeitos estão sendo investigados pelos crimes de lavagem de dinheiro, associação criminosa, crimes financeiros e corrupção ativa e passiva e, caso condenados, podem pegar até 30 anos de reclusão.
As prisões foram autorizadas pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região, que também determinou o bloqueio dos bens em nome dos investigados. Os presos ao longo do dia em Pernambuco serão levados para sede da Polícia Federal. Os suspeitos detidos nos outros estados ficarão nos sistemas prisionais dos seus estados à disposição da Justiça.



Fonte Op9


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário