AGORA NO BLOG...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Alcymar Monteiro reclama a Paulo Câmara atraso em pagamento de cachês por show




Todos esses que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão…
Eu passarinho!
Mario Quintana

Por Alcymar Monteiro, em carta enviada ao blog

Mais uma vez me sinto na obrigação de falar: ano após ano os artistas de Pernambuco se veem no vexatório ritual de ter que cobrar publicamente o governador Paulo Câmara o pagamento dos cachês de shows realizados pelo governo do estado. Vimos passando por essa mesma situação nos últimos 4 anos, e dói no âmago o profundo desrespeito com o qual a classe artística pernambucana vem sendo tratada. São 4 anos de quase mendicância, por um direito que é nosso: receber por um trabalho prestado.
Entretanto quero fazer nesse texto algo diferente também. Claro que estou divulgando aqui nas redes sociais na esperança de que chegue aos olhos do governador e ele possa se sensibilizar com dezenas de famílias que dependem desses recursos para comer. Porém quero sair do mais do mesmo da cobrança constante e lançar uma pergunta ao governador Paulo Câmara: o senhor acha que a classe artística pernambucana tem algum valor? Qual o papel que o senhor vê para a classe artística de Pernambuco no desenvolvimento do estado? São perguntas simples, governador. E sinceras.
Sei que não é educado jogar confete sobre si próprio, mas preciso falar do que conheço bem. Veja bem, governador: moro em Pernambuco há mais de 30 anos. Minha empresa é sediada em Pernambuco. Os impostos que pagam ficam aqui em Pernambuco. O dinheiro que ganho fica aqui em Pernambuco. Vou além: meus filhos são pernambucanos. Sou discípulo de um pernambucano, Luiz Gonzaga, e canto as coisas do nosso estado no Brasil e mundo afora. Dou emprego direto e indireto para quase 80 pessoas, e tenho certeza que um pequeno tijolo do que é Pernambuco hoje foi lá colocado por mim.
Pois bem, governador Paulo Câmara: o que o senhor, como gestor do estado, quer ver os artistas de Pernambuco fazendo para ajudar ainda mais? Não quero, governador, parar somente nos shows que apresento, quero ir além. Quero realmente lhe oferecer um tirocínio de que nós artistas podemos oferecer algo a mais pro estado. Nos meus shows levo uma equipe de balé folclórico, apresento danças e culturas típicas de Pernambuco e do Nordeste. Faço um apanhado cultural no meu repertório, que com certeza ajuda a criar uma imagem nas mentes das crianças do que significa “ser” pernambucano e nordestino. Esse é leu labor. Essa é minha luta diária.
Pergunto então, governador Paulo Câmara, o quê mais temos que oferecer à Pernambuco, além do nosso suor, para que o senhor nos valorize como artistas e, primordialmente, como seres humanos? O senhor quer lágrimas? Pode ter certeza que já as tem. Só falta lhe darmos nosso sangue…
Não sei, sinceramente, se o senhor tem consciência da realidade que lhe cerca. Na minha seara posso lhe dizer nossos cachês estão defasados sobremaneira, e só meia dúzia de “iluminados” conseguem receber com atraso menor do que 8, 9 meses. Esse ano de 2018, na verdade, houve uma redução de quase 10% nos valores praticados, que já eram baixos. Mesmo assim não há previsão de pagamento. E temos que nos sujeitar a isso ano após ano por amor a nossa cultura, ao nosso povo, pois infelizmente no Brasil quem sustenta a bandeira da cultura precisa do apoio estatal para conseguir fazê-lo de forma digna.
Não lhe conheço intimamente para julgar, vou lhe dar o benefício da dúvida. Mas alguns de seus assessores viraram mestres na arte do sarcasmo, da ironia e da humilhação. Alguns tem até um comportamento sádico, governador. Parecem zombar dos nossos direitos.
Esse problema é pontual de Pernambuco, governador. Faço espetáculos em todos os estados do Brasil e em todos somos vistos como agentes parceiros no desenvolvimento cultural, turístico, econômico e por que não até social e humanístico. Aqui em Pernambuco somos vistos como estorvos. Como cidadãos de segunda classe.

Então nesse 11 de dezembro de 2018, 6 meses após ter realizado meu trabalho e não ter recebido. 5 meses após ter pago os impostos devidos, ajudando a fortalecer seu caixa, governador. 6 meses em que tento contato com qualquer assessor seu para cobrar uma posição, e só receber piadas ou silêncio, lhe pergunto, governador Paulo Câmara: quando serão pagos os cachês artísticos de 2018? O senhor mudará a postura – e principalmente as pessoas – de sua próxima gestão no que tange a cultura, ou podemos esperar mais do mesmo?
Governador Paulo Câmara, com o Natal se aproximando rogo ao filho do Deus vivo, Jesus Cristo, que possa impingir em seu coração o amor fraterno aos seus governados e ilumine os caminhos do nosso estado tão sofrido. Se a coisa continuar como está caminhando, só com a intervenção do Altíssimo…


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário