AGORA NO BLOG...

domingo, 13 de outubro de 2019

Irmã Adélia pode ser primeira Santa Pernambucana


Irmã Adélia ficou conhecida ao presenciar as aparições de Nossa Senhora na Aldeia Guarda, em Pesqueira



Irmã Adélia ficou conhecida ao presenciar as aparições de Nossa Senhora na Aldeia Guarda, em Pesqueira / Amanda Ranheri/JC



Memorial em homenagem a irmã Adélia pode ser primeiro passo para a canonização da primeira santa pernambucana. Na manhã deste domingo (13), mesmo dia em que o papa Francisco canonizou Santa Dulce dos Pobres como primeira santa brasileira, um evento realizado no colégio Damas, no bairro das graças, inaugura um espaço de homenagem a pernambucana Maria da Luz Teixeira de Carvalho.

Nascida em 16 de dezembro de 1922, Maria da Luz ganhou o nome Irmã Adélia ao entrar para o Instituto das Religiosas da Instrução Cristã (RIC). Ela faleceu há seis anos, no dia 13 de outubro de 2013. Ela ficou conhecida ao presenciar as aparições de Nossa Senhora na Aldeia Guarda, em Cimbres, distrito de Pesqueira, no Agreste de Pernambuco. Entre os milagres atribuídos à religiosa está a cura de uma criança que caiu do 5º andar. A freira morreu há seis anos, em 13 de outubro de 2013.

De acordo com o bispo de Pesqueira, Dom José Luiz Ferreira Sales, o compromisso da irmã Adélia com as obras sociais e sua personalidade humilde, faz dela uma devota especial. "[Irmã Adélia] Viveu um processo de intimidade com Deus.E, a gente acredita e crê que ela teve uma graça de ter estado com Nossa Senhora, rezado a Nossa Senhora. Nossa Senhora apareceu a irmã Adélia, a gente tem essa intuição que ela viveu essa graça tão importante e tão bonita na vida dela. E, para nós enquanto igreja de Pernambuco, enquanto igreja de Pesqueira, é muito importante aquilo que irmã Adélia deixou para a gente. Que eu acho que isso é o mais significado. Primeiro o seu espírito de humildade, de simplicidade e que eu tava dizendo hoje pela manhã, que vai muito ao encontro do papa Francisco], disse.

Processo


A programação do domingo conta com inauguração do memorial em homenagem à religiosa, oração do terço e missa. Os detalhes da beatificação foram passados em coletiva de imprensa. O primeiro passo para iniciar um processo de beatificação é dado pelo bispo da diocese à qual pertence o fiel e geralmente ocorre, pelo menos, cinco anos após sua morte. Durante o processo de beatificação, é visto se ao candidato é atribuído a realização de um milagre e que merece ser proposto à canonização.


Fonte Tv Mais Nordeste


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário