AGORA NO BLOG...

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Estado dá primeiro passo para entregar Centro de Convenções à iniciativa privada


Empresa Houer Consultoria e Concessões LTDA será contratada por R$ 497,5 mil para desenvolver modelos de gestão do Centro de Convenções

Estrutura do Centro de Convenções de Pernambuco é alvo de críticas do trade e de organizadores de feiras / Sérgio Bernardo/JC Imagem



O Governo do Estado pagará R$ 497,5 mil à empresa Houer Consultoria e Concessões LTDA pelo estudo de viabilidade técnica, econômico-financeira, socioambiental e jurídica para uma possível concessão do Centro de Convenções de Pernambuco. 

Segundo o documento, o estudo tem o objetivo de subsidiar o governo no processo de "celebração da parceria para fins de realização de investimentos, inclusive modernização dos equipamentos, operacionalização e manutenção do Centro de Convenções de Pernambuco (Cecon-PE), exploração da sua área de influência e empreendimentos associados, com a finalidade de desenvolvimento da infraestrutura turística do Estado".



Na prática, o estudo apresentará modelos alternativos de gestão para que a iniciativa privada assuma o Cecon-PE, seja através de uma Parceria Público-Privada (com contrapartida estatal) ou de uma concessão (sem contrapartida), por exemplo.

De acordo com o Secretário Executivo da Secretaria de Turismo (Setur), Antônio Neves Baptista, os estudos devem ser desenvolvidos em até um ano. "Parece muito, mas o tempo é até exíguo diante da complexidade e da idade do Cecon (o equipamento completará 41 anos em março)", justifica. "Nada impede até lá algumas melhorias pontuais", complementa.

O secretário executivo admite, no entanto, que os recursos prometidos pelo governador Paulo Câmara para a requalificação ainda não foram pactuados. "Ainda está em debate e (a decisão) deve ficar para após o Carnaval", diz.

CENTRO DE CONVENÇÕES É ALVO DE QUEIXAS


Prestes a completar 41 anos de funcionamento, o Centro de Convenções de Pernambuco tem sido alvo recorrente de reclamações do trade e de organizadores de feiras por falhas nas instalações elétricas e hidráulicas, problemas nos banheiros e na climatização e estrutura das salas, além de falta de acessibilidade e de tecnologia de ponta, entre outras questões.




Diante da queixas, o governo do Estado anunciou no ano passado que iria incluir a cada ano no orçamento R$ 20 milhões para obras de retrofit, mas o valor ainda não foi confirmado nem liberado.

Enquanto isso, o Centro de Convenções de Pernambuco começa a perder shows e congressos para equipamentos modernos de Estados vizinhos do Nordeste. Casos de Fortaleza e Salvador, que inaugurou em janeiro uma nova estrutura municipal já com 20 grandes eventos confirmados.



Fonte JcOnline


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário