AGORA NO BLOG...

sábado, 30 de maio de 2020

Após anunciar a atriz Regina Duarte para o comando da Cinemateca Brasileira, o governo federal propôs fechar o órgão, responsável pela preservação e difusão do patrimônio audiovisual brasileiro


Após anunciar a atriz Regina Duarte para o comando da Cinemateca Brasileira, o governo federal propôs fechar o órgão, responsável pela preservação e difusão do patrimônio audiovisual brasileiro. O plano para o encerramento das atividades foi apresentado pelo governo em reunião entre representantes da secretaria especial da Cultura e Audiovisual e da direção da Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), nesta sexta-feira (29).

Atriz Regina Duarte foi anunciada pelo presidente Bolsonaro para o comando da pasta (Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil )

Regina deixou o cargo de secretária especial da Cultura no dia 20 de maio, quando anunciou, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que seria transferida para a Cinemateca, localizada em São Paulo, sob a justificativa de que poderia permanecer mais próxima à família. O órgão é gerido pela Acerp.

Segundo informações do colunista Ricardo Feltrin, do portal Uol, governo propôs a rescisão do contrato com a fundação, que vai até 2021. Ainda de acordo com o jornalista, representantes da Acerp não só rejeitaram a proposta como já acionaram o conselho administrativo para tomar medidas judiciais.

Com a suspensão do contrato, a Cinemateca precisaria interromper todos os seus projetos em andamento e a Acerp seria obrigada a demitir cerca de 150 funcionários. A associação, no entanto, não dispõe de recursos para pagar as recisões trabalhistas dos colaboradores, alguns com 40 anos de casa. De acordo com a porposta, o governo não assumiria esse ônus.

O plano do governo também não apresentou propostas sobre a preservação das centenas de milhares de filmes e gravações mantidos na Cinemateca. A proposta foi de encontro à intenção do secretário de Audiovisual, Heber Trigueiro, que sugeriu pagar as dívidas e e fazer um período de transição, para que o acervo não se perca ou deteriore.

Caso a Cinemateca feche as portas, o presidente Bolsonaro terá que arrumar um novo cargo dentro do governo para Regina Duarte. O governo estuda nomeá-la para a Direção e Assessoramento Superior (DAS), onde poderá receber uma remuneração de R$ 15 mil.

Com informações do colunista Ricardo Feltrin, do portal Uol
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário