AGORA NO BLOG...

quinta-feira, 7 de maio de 2020

Madrugada de operação do MPPE em Timbaúba


Clientes e usuários da Caixa Econômica Federal relataram ao Promotor de Justiça, Dr. João Elias, que pessoas desconhecidas estavam cobrando de R$ 30,00 a R$ 100,00 por vagas na fila.


caixa_5

A Promotoria de Justiça de Timbaúba vem há alguns dias recebendo denúncias que pessoas desconhecidas estão marcando com objetos as setas de indicação da fila feita pela Prefeitura ao lado da Praça Carlos Lira, para vender aos clientes da Caixa Econômica Federal. O Promotor de Justiça, Dr. João Elias, convocou representantes do Governo Municipal e a Polícia Militar e montou uma Operação com a intenção de averiguar essas denúncias e conversar com os cidadãos.

A operação foi planejada na última terça-feira (5/05) e hoje por volta das 2h50, o Promotor de Justiça fez um briefing com os participantes da Operação (Policiais Militares, Agentes de Trânsito, Agentes da Vigilância Sanitária, Agentes de Limpeza Pública e secretário municipal) em frente do prédio do MPPE, relatando toda a situação que foi denunciada ao órgão, como a operação deveria ser executada e quais os objetivos.

Às 3h30 da madrugada, o representante do MPPE comprovou que as setas indicativas, que servem para organizar e manter o distanciamento adequado entre as pessoas da fila, estavam marcadas com risco de giz, cadeiras, papelões, pedras, entre outros tipos de objetos.
Alguns clientes que já estavam naquela hora esperando a abertura da agência bancária relataram a ele que realmente existiam pessoas não identificadas vendendo vagas na fila no valor de R$ 30,00 a R$ 100,00. Cidadãos que chegaram a pagar não quiseram identificar os autores desse crime que é considerado como estelionato temendo uma represália.

"Em ambos os locais foram distribuídas máscaras para quem estava sem o equipamento, além do promotor ter conversado com os presentes sobre condutas de distanciamento social, higienização individual, gratuidade do acesso aos locais demarcados nas filas e possível responsabilização criminal (Estelionato) de quem está obtendo vantagens ilícitas pela exigência de pagamento dos locais nas filas. Esse crime tem pena de 1 a 5 anos", esclareceu Dr. João Elias."

A ação foi repetida na área da fila de acesso à Casa Lotérica, nas proximidade do Terminal Rodoviário.
"Nesse primeiro momento estamos apenas restabelecendo a ordem e orientando, contudo as polícias serão acionadas para agir com os rigores da Lei, a partir de agora", completou o Promotor de Justiça.
O representante do MPPE informou ao Agora Nordeste que qualquer cidadão prejudicado pode entrar em contato pelos seguintes números:
Polícia Militar - (81) 3631-5241 / 99985-1855
Polícia Civil - (81) 3631-5237
Ministério Público - (81) 3631-5243
Todo material utilizado para marcar as filas foi recolhido pela equipe de Serviços Urbanos da Prefeitura de Timbaúba.
Também participaram da Operação o secretário municipal, Reny Melo, e as equipes do Departamento Municipal de Trânsito e Vigilância Sanitária.
Assista a Operação realizada pelo MPPE em frente a Caixa Econômica Federal 





Assista na íntegra a entrevista do Promotor de Justiça, Dr. João Elias, e secretário municipal, Reny Melo, concedida ao Agora Nordeste   


Fonte Agora Nordeste




←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário