AGORA NO BLOG...

sexta-feira, 27 de março de 2020

A secretaria de saúde de Goiana-PE acaba de confirmar o primeiro caso de coronavírus no município




Atenção: A secretaria de saúde de Goiana acaba de confirmar o primeiro caso de coronavírus no município. O resultado foi positivo para Covid-19. A confirmação foi divulgada no facebook oficial da prefeitura da cidade de Goiana.



Prefeitura de Macaparana entrega kits de alimentos aos alunos da rede municipal



Prefeitura de Macaparana entrega kits de alimentos aos alunos da rede municipal








A PARTIR DE TERÇA!

A Prefeitura Municipal de Macaparana, através da Secretaria de Educação anuncia que será iniciada uma distribuição de Kit’s alimentares para as famílias dos alunos matriculados na Rede Municipal de Ensino.
Reafirmando o seu compromisso com nossos estudantes, durante a suspensão das aulas.



Fonte Facebok Prefeitura de Macaparana



Comerciantes Macaparanenses que Reabrirem Seus Estabelecimentos sem Ordem Será Multado e Pode ter seu Alvará de Funcionamento Cassado









Ministério Público acaba de enviar Nota Para Comerciante Que Descumprir lei e Reabrir seus estabelecimentos Será usado poder Polícia para quem descumprir O Decreto, tendo seu estabelecimento multado e até cassação de Alvará de funcionamento.











Timbaúba tem 04 casos suspeitos de coronavírus, Diz secretaria de saúde


Veja a nota atualizada hoje 27/03/2020 da secretaria de saúde do município: Lembrando que ainda não houve caso confirmado em Timbaúba. 



 Secretaria de Saúde de Timbaúba informa que encontra-se em investigação 4 (quatro) casos suspeitos do novo Coronavírus. Dos casos 3 (três) encontram-se nos hospitais de referência do Estado realizando os procedimentos necessários. O outro caso, corresponde ao óbito por Síndrome Respiratória Aguda Grave -SRAG, que foi encaminhado para o SVO - Serviço de verificação de óbitos e encontra-se também em investigação. A coleta de amostra clínica já foi realizada e estamos aguardando o resultado, que tem previsão de até 5 dias para ser concluído. Continuamos com nossa equipe vigilante e executando as ações recomendadas pelo Ministério da Saúde. Reforçamos a necessidade das pessoas FICAREM EM SUAS CASAS para que possamos combater essa PANDEMIA.


Fonte Coisas e Timbauba E Regiões

Pernambuco prevê aumento de casos da Covid-19 em abril e reforça pedido de isolamento


Os gráficos do avanço da Covid-19 no mundo mostram cenários em comum. Consideradas as variações nos números de casos por países, uma consequência das medidas adotadas por cada nação, é certo que há uma tendência de explosão de infecções após os primeiros 30 dias - contados a partir da primeira notificação no local. 


O Brasil completou 30 dias desde a primeira notificação nesta quinta-feira (26), com quase três mil confirmações, porém com subnotificação real, admitida pelo Ministério da Saúde devido à falta de insumos necessários para testar todos os casos suspeitos. Por isso, somente os quadros graves e os grupos de risco estão tendo amostras coletadas.

Em Pernambuco, são 48 casos confirmados entre o dia 12 de março, quando foram anunciadas as primeiras notificações, até o início da noite desta quinta. A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), então, faz um alerta para o cenário que pode ser vivido nos próximos dias. "Temos procurado conversar com diversos especialistas que têm feito modelos matemáticos adaptados para a realidade do Estado. E há situações que nos preocupam se as medidas não farmacológicas que adotamos não forem seguidas”, explica o gestor da SES-PE, André Longo.

As medidas não farmacológicas citadas por ele são as restrições de mobilidade nos municípios do Estado, onde estão proibidas reuniões com mais de dez pessoas e funcionamento do comércio que não seja de serviços essenciais. Tais restrições, junto ao clamor do Governo de Pernambuco para que a população evite estar nas ruas, tem justificativa.

"Há perspectiva de termos um aumento grande de casos nos primeiros dias de abril caso as medidas não farmacológicas não sejam atendidas. Então, reforçamos a importância do isolamento social. É certo que o ápice da curva de epidemia vai chegar. Todo o nosso esforço é por retardá-lo enquanto tomamos todas as medidas para preparar nosso sistema”, diz Longo.

"Embora alguns devaneios sejam ditos por alguns, a recomendação mundial é de isolamento. A Organização Mundial de Saúde pede isolamento. As principais potências do mundo estão em isolamento. E precisamos seguir enquanto as recomendações forem essas. É certo que nenhuma autoridade governamental está satisfeita com essas medidas, mas elas são tomadas por técnicos, a partir da avaliação dos cenários”, completa.


Fonte Coisas e Timbauba e Regiões



Coronavírus: Câmara aprova projeto que prevê R$ 600 por mês para trabalhador informal


A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (26) um projeto que prevê o pagamento de R$ 600 a trabalhadores informais por três meses em razão da pandemia do coronavírus. A mulher que for mãe e chefe de família poderá receber R$ 1,2 mil. A proposta do governo era de R$ 200 para os trabalhadores informais, o Congresso passou para R$ 600.

André Zara: Seu medo te impede de ganhar dinheiro? - Money Times

Com a aprovação, o texto seguirá para votação no Senado. Ainda não há data definida para a análise pelos senadores. O pagamento do auxílio emergencial é limitado a duas pessoas da mesma família.

Segundo estimativa preliminar da Instituição Fiscal Independente (IFI), ligada ao Senado, o impacto fiscal com o auxílio para a União será de R$ 43 bilhões por três meses. O cálculo não considera ainda as mães chefes de família que poderão receber o auxílio em dobro.

Pela proposta, poderá receber o montante o autônomo que não receber benefícios previdenciários, seguro desemprego nem participar de programas de transferência de renda do governo federal, com exceção do Bolsa Família.

Desde a semana passada, a Câmara e o Senado tem aprovado projetos relacionados ao combate do coronavírus e dos efeitos provocados pela crise.

Em razão das medidas de prevenção contra o coronavírus, a sessão desta quinta foi parcialmente virtual, com a presença de apenas alguns deputados no plenário. Os demais acompanhavam por videoconferência.

Entenda o projeto
O projeto altera uma lei de 1993 que trata da organização da assistência social no Brasil. De acordo com o texto, o dinheiro será concedido a título de “auxílio emergencial” por três meses ao trabalhador que cumprir os seguintes requisitos:

for maior de 18 anos;
não tiver emprego formal;
não for titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o bolsa-família;
cuja renda mensal per capita for de até meio salário mínimos ou a renda familiar mensal total for de até três salários mínimos;
que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.
Outros requisitos para receber o auxílio é:

exercer atividade na condição de Microempreendedor Individual (MEI) ou;
ser contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social ou;
ser trabalhador informal, de qualquer natureza, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal até 20 de março de 2020.
Apesar de a previsão inicial de pagamento do auxílio ser por três meses, o relator da proposta, Marcelo Aro (PP-MG), disse que a validade do auxílio poderá ser prorrogada de acordo com a necessidade.

O projeto estabelece ainda que só duas pessoas da mesma família poderão acumular o auxílio emergencial.

Para quem recebe o Bolsa Família, o texto ainda permite que o beneficiário substitua temporariamente o programa pelo auxílio emergencial, se o último for mais vantajoso.

Inicialmente, o auxílio previsto no parecer do relator era de R$ 500, mas, após a articulação de um acordo com o governo federal, o valor passou a ser de R$ 600.

Pouco antes, em uma live realizada pelo Facebook, o presidente Bolsonaro havia dito que, após conversar com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o governo defendia inicialmente que o auxílio fosse de R$ 200, "ele resolveu triplicar". "Deu o sinal verde", acrescentou Bolsonaro.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elogiou a construção de um acordo entre Legislativo e Executivo, relação geralmente marcada por atritos. Maia ponderou que, mesmo com divergências, é preciso haver um ambiente de diálogo para buscar soluções para "salvar vidas e encontrar o melhor caminho para que a economia sofra menos".

BPC
O projeto de lei pretende ainda resolver um impasse em relação ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), que é pago, no valor de um salário mínimo por mês, a idosos ou pessoas com deficiência de baixa renda.

O Congresso Nacional havia ampliado o limite de renda para ter direito ao pagamento do benefício, que valeria já para este ano. Com isso, mais pessoas passariam a ser beneficiadas, elevando as despesas públicas.

O presidente Jair Bolsonaro vetou o projeto alegando que não havia sido indicada fonte de receita, mas os parlamentares depois derrubaram esse veto.

O governo federal, então, recorreu ao Tribunal de Contas da União (TCU) para que a ampliação do limite valesse apenas a partir do ano que vem.

O ministro do TCU Bruno Dantas atendeu o pedido do governo, mas, no último dia 18, voltou atrás e suspendeu a sua decisão por 15 dias.

O projeto aprovado nesta quinta pela Câmara tenta resolver esse imbróglio. O texto define a partir de quando as novas regras passarão a valer. A proposta, porém, cria exceções diante da crise do novo coronavírus.

Pelo projeto, terão direito ao benefício pessoas com mais de 65 anos ou com deficiência que tenham renda familiar per capita:

igual ou inferior a um quarto do salário-mínimo, até 31 de dezembro de 2020;
igual ou inferior a meio salário-mínimo, a partir de 1° de janeiro de 2021.
No entanto, diante da pandemia do coronavírus, o projeto abre brecha para ampliar o critério da concessão de benefício ainda neste ano.

O benefício poderá ser concedido para quem recebe até meio salário mínimo per capita, em escala gradual a ser definida em regulamento, de acordo com uma série de fatores agravados pela pandemia, como comprometimento socioeconômico familiar.

Antecipação
O projeto também prevê a antecipação do pagamento do auxílio para quem ainda está na fila do BPC para pessoa com deficiência e do auxílio-doença. No caso do BPC, o projeto prevê pagamento de R$ 600. Para o auxílio-doença, o valor é de um salário mínimo.

Metas
A Câmara votou ainda um projeto de lei que suspende por 120 dias, a contar do dia 1º deste mês, a obrigatoriedade de manter as metas quantitativas e qualitativas exigidas de entidades de saúde que prestam serviço no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O texto vai ao Senado.

Autor do projeto, o deputado Pedro Westphalen (PP-RS) argumenta que, devido à pandemia de coronavírus no país, os hospitais tiveram que redirecionar sua atuação.

Ele pondera que cirurgias marcadas, por exemplo, têm sido canceladas para priorizar o atendimento aos pacientes com Covid. E, por essa razão, os prestadores não têm mais condições de cumprir as metas nesse período.

Como o repasse de recursos é condicionado ao cumprimento das metas, o objetivo do projeto é garantir que as entidades continuem recebendo a verba.

Atestado

A Câmara também aprovou projeto de lei apresentado pelo deputado Alexandre Padilha (PT-SP) que dispensa o trabalhador que estiver doente de apresentar atestado pelo prazo de sete dias, em situação de emergência de saúde, pandemia ou epidemia quando houver imposição de quarentena.

A partir do oitavo dia, no entanto, o empregado precisará apresentar documento de uma unidade de saúde ou um atestado eletrônico, regulamentado pelo Ministério da Saúde, que comprove seu estado de saúde.

quinta-feira, 26 de março de 2020

Alepe debate medidas de prevenção ao coronavírus com Governo do Estado


Deputados se reuniram, na tarde desta segunda (16), com o governador Paulo Câmara para discutir as ações de prevenção e combate ao coronavírus em Pernambuco. A reunião ocorreu no gabinete do chefe do Executivo estadual, no Palácio do Campo das Princesas. Na ocasião, os parlamentares se colocaram à disposição para ajudar o Governo nos esforços para conter a ameaça de contaminação pela Covid-19.


Integrantes das bancadas de Governo e de Oposição estiveram presentes, com o propósito de demonstrar unidade com relação à gravidade do assunto. O secretário de Saúde, André Longo, e o secretário da Casa Civil, José Neto, repassaram informações aos deputados sobre as últimas medidas tomadas pelo governador, possibilitando a troca de sugestões para aprimorar a resposta do Poder Público à pandemia.
Diante dos dados técnicos, os integrantes do Legislativo manifestaram apoio à gestão pernambucana, por meio de uma ação de comunicação nos canais oficiais da Assembleia. Os parlamentares também se comprometeram a fazer interlocução com lideranças políticas em cada município do Estado. Para o presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP), esse trabalho de conscientização é fundamental para evitar pânico e garantir que as pessoas tomem uma atitude correta sobre o melhor procedimento a ser seguido na prevenção.
Assembleia Legislativa aprovou, recentemente, o projeto de lei que permitiu a convocação de 127 pessoas aprovadas no concurso vigente da Rede Estadual de Saúde. Esses profissionais estão sendo lotados no Hospital Oswaldo Cruz, vinculado à Universidade de Pernambuco (UPE) e referência no atendimento de pacientes com doenças infectocontagiosas.
Prevenção – A Mesa Diretora da Alepe também publicou ato administrativo criando medidas de proteção aos visitantes, parlamentares e servidores. No encontro com o governador Paulo Câmara, os deputados reforçaram a importância da conscientização sobre os riscos da disseminação do coronavírus, especialmente nos grupos de risco. A Ouvidoria do Ministério da Saúde é o canal recomendado para se obter mais informações sobre os sintomas e o procedimento correto para diagnóstico e tratamento da doença. O telefone é 136.

Fonte Alepe


Sobe para três número de mortes de pacientes com novo coronavírus em Pernambuco


Vítimas são um morador do Recife e o turista canadense socorrido de um navio no dia 12 de março, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

Afinal, quantos suspeitos de coronavírus Umuarama tem? Entenda a ...

Subiu para três o número de pessoas mortas com Covid-19, doença transmitida pelo novo coronavírus, em Pernambuco, nesta quinta-feira (26), segundo a Secretaria Estadual de Saúde (veja vídeo acima). A morte de um homem de 85 anos, na quarta (25), foi considerada a primeira no estado de um paciente com a doença. O estado teve 48 confirmações para o novo vírus.

As duas mortes mais recentes aconteceram na madrugada desta quinta (26). As vítimas são um morador do Recife, de 69 anos, e o canadense de 79 anos, que chegou a Pernambuco em 12 de março, no navio Silver Shadow.



O turista foi socorrido com sintomas da doença no mesmo dia e foi levado a um hospital particular do Recife, onde houve confirmação de que ele foi infectado pelo novo coronavírus. Ele foi retirado da embarcação junto com a esposa. Num primeiro momento, ela não apresentava sintomas da doença, mas foi diagnosticada com Covid-19 dias depois.

O canadense estava internado em uma unidade privada de saúde e foi mantido em ventilação mecânica e hemodiálise. Ele também estava fazendo uso de medicamentos, de acordo com a SES. A embaixada canadense se encarregou do tratamento do corpo.



Devido à presença do homem na embarcação, o navio ficou isolado no Porto do Recife com cerca de 600 pessoas, entre passageiros e tripulantes. De acordo com um turista francês que estava a bordo, a temperatura das pessoas do navio era checada todas as noites.

Já o morador do Recife, segundo a secretaria, era hipertenso e tinha histórico de viagem para Portugal e Itália. Ele voltou a Pernambuco no dia 10 de março e, no dia 12 do mesmo mês, ele foi atendido em uma unidade privada de saúde apresentando febre e "alteração na ausculta pulmonar", de acordo com a secretaria. Depois de coleta de material, ele foi liberado para isolamento domiciliar.


Fonte G1



quarta-feira, 25 de março de 2020

Mandetta afronta Bolsonaro, rejeita isolamento vertical e pode ser demitido, diz site


Nesta manhã, Jair Bolsonaro disse que pretende acabar com o isolamento total, recomendado pela OMS


Mandetta afronta Bolsonaro, rejeita isolamento vertical e pode ser demitido, diz site

O ministro Luiz Henrique Mandetta disse a aliados que vai manter seu posicionamento no sentido de recomendar que se mantenha o isolamento social generalizado, e não, “vertical”, ou seja, só de idosos e pessoas com doenças preexistentes, como defendeu Jair Bolsonaro.
A informação é do Portal BR Político.  Com isso, se Bolsonaro exigir que o Ministério da Saúde reveja seu posicionamento, ele pode até mesmo deixar o cargo.
Nesta manhã, Jair Bolsonaro disse que pretende acabar com o isolamento total, recomendado pela Organização Mundial de Saúde.


Fonte Top Midia News


Proxima  → Página inicial